A habilidade de se relacionar é um dos atributos mais exigentes no mundo de hoje. Independente do lugar ou tipo de ambiente em que vivemos, sempre estamos nos relacionando com outras pessoas. Lidar com pessoas faz a diferença entre aqueles que se destacam e os que ficam na mediocridade. Relacionar-se bem com as pessoas é uma habilidade incalculável para sermos felizes e termos sucesso nas relações interpessoais. Seguem quatro princípios, chaves fundamentais para um extraordinário relacionamento com as pessoas e ter surpresas agradáveis.

Princípio do ESPELHO

Você quer se relacionar bem com as pessoas? Aprenda a se olhar no espelho. Sim, olha para você mesmo e percebe como se sente, como se vê, como esta o seu olhar, sua energia, seu brilho, seu sorriso, sua estima, seu jeito de se vestir e arrumar, seu dom de voz? Aprender a se relacionar bem com você mesmo é a chave numero um para ter um extraordinário relacionamento com os outros. Do jeito que você se vê e sente, é o jeito que as pessoas vão te perceber. Muitas vezes a pessoa mais complicada esta no espelho. Estima baixa, fisionomia arrogante, olhar triste, sorriso amargo, sem brilho na voz e no olhar, jeito de se arrumar sem vibração.

Aprender ser seu melhor amigo, gostar do jeito que é, acolher e se encantar com a historia pessoas que habita no seu corpo, ser mais agradável com você mesmo é uma ótima dica para melhorar os seus relacionamentos. Desenvolver uma auto estima elevada, um amor próprio, um bem querer, uma alegria de ser. Sentir a energia vital vibrando nas célula do corpo. Sentir a força de Deus vibrando, um entusiasmo pelo presente da vida.

Muitas vezes as pessoas não gostam de se olhar no espelho, não gostam como são, carregam no corpo e no olhar uma tristeza, uma magoa, baixa estima, muita vergonha, uma timidez, sem valor próprio. Ai complica os outros gostarem de você se você não for a pessoa que mais vibra por você mesmo. Aprenda a desenvolver uma auto imagem, auto conceito e auto estima de você mesmo e esta é a chave numero um para seus relacionamentos criarem novo brilho, mias vibração e encantamento.Pessoalmente, que trabalho com palestras, aprendi a colocar um espelho imaginário no meio da plateia. Toda hora eu olho e percebo como eu me vejo. Se eu não me suporto, como as pessoas vão vibrar comigo? Isso me ajuda muito a manter um desconfiômetro ao me relacionar com os outros.

Princípio da LENTE

Qual a predisposição interior para ver, avaliar e interagir com as pessoas dos meus relacionamentos. Qual lente você usa para ver as pessoas ao seu redor? Aumenta tudo, diminui muito, distorce? Qual a cor da sua lente? Muito critica, fechada, negativa, pessimista? Ou é uma lente mais colorida, esperançosa, amigável e afetiva? A partir de que lente você avalia e percebe as pessoas com as quais convive? Aquilo que você percebe nas pessoas ao seu redor, esta diretamente refletindo a sua percepção interior. Mude as pessoas, mudando o seu olhar para as pessoas.

Pessoas mais agressivas, ansiosas e negativas fazem uma leitura muito pessimista das outras pessoas. Sempre conseguem ver um ponto rum nos outros mesmo que sejam pessoas maravilhosas. Pessoas com um brilho interior sempre percebem algo de bom nos outros. “Não são as coisas à nossa volta que determinam o que vemos, e sim o que há dentro de nós”. A forma como percebe as pessoas ao seu redor, sempre é uma manifestação da sua realidade interior. Talvez não possa mudar o mundo ao seu redor, mas pode mudar o ponto de olhe olha a realidade. A sua lente tem um fator determinante de como fica a realidade das pessoas a sua volta.

A muito tempo aprendi e treinei muito a olhar as pessoas, não tanto pelas aparências, pelo que fazem ou falam, mas pelo que tenho em comum com elas. E fui descobrindo não tanto as diferenças mas os pontos em comuns. E com muita surpresa fui me dando conta que somos mais parecidos do que diferentes. E o ponto central que temos em comum é que estamos vivos. É isso que importa. A idade muda, conhecimentos e sentimentos são diferentes, data de nascimento é outra, mas temos a mesma vibração da vida, o mesmo brilho, mesmo desejos de viver plenamente. Estamos no mesmo barco da vida remando em busco do porto seguro, mas a sina é remar e navegar e ali esta a beleza da vida. Descubra e sinta.

Princípio da DOR

Cada vez mais se percebe pessoas com dor, sofrimento, angustia, inquietude com a vida. Somos bombardeados por informações de dor e sofrimento. É preciso ter sabedoria e discernimento para identificar o que é meu e o que é do outro. Isso parece ser simples, mas nos relacionamentos é um dos pontos mais complicados. Saber que a dor, o sofrimento, a magoa às vezes é da outra pessoa. E se é da outra pessoa, preciso saber acolher sem precisar entrar na dor e no sofrimento do outro. Isso implica ter autocontrole. Uma coisa é ajudar pessoas nos seus sofrimentos, mas não podemos viver a dor do outro. O médico ajuda a corar a dor do paciente, mas não sente a dor do paciente. Assim precisamos aprender a ajudar as pessoas sem viver a dor do outro.

Facilmente tem pessoas que estão ótimas, mas ao conviverem com certas pessoas, em poucos minutos estão péssimas. É preciso aprender a separar o que é meu e o que é dos outros. Isso é uma grande habilidade para se relacionar bem com as pessoas. Se a dor é do outro, posso auxiliar e dar recursos para o outro aprender a lidar com tudo isso, mas sem levar para dentro o sofrimento do outro. Para conseguir fazer isso é necessário ter uma harmonia interior, ter um auto-conhecimento elevado para saber diferenciar os sofrimentos pessoais com os sofrimentos dos outros. Mas também cuidar com as dores pessoais que todos nós temos. Não posso ficar culpando todo mundo ou esperando que o mundo pare para acolher o meu sofrimento. Se eu estou com dor, eu preciso fazer algo por mim, me cuidar, amar, curar.

Aprendi a ser muito verdadeiro comigo. Aprendi olhar para o meu universo das emoções e fui descobrindo que somos uma usina de energia e esta energia precisa ser movimentada, expressa, vivenciada. Assumir as raivas, as magoas, as tristezas, os medos e dar um significado para tudo isso sem precisar depositar nos outros as minhas inquietudes. Mas também saber que muitas coisas são dos outros. Esta descoberta me levou a compreender que não existem pessoas chatas e nem complicas. Mas a chatice normalmente esta na minha forma de olhar para a pessoa.

Princípio do ELEVADOR

O elevador ou sobe ou desce. As relações são assim, ou subimos os descemos. Ou elevamos as pessoas ou as reprimimos. Aprender a arte de elevar as pessoas é uma das coisas mais prazerosas nos relacionamentos. Aprender a elogiar, ver coisas boas, sempre saber descobrir uma intenção boa no outro faz um bem enorme para a saúde emocional. A cada pessoa que encontramos deixar uma marca do crescimento, da elevação, do bem estar. Contagiar as pessoas da sua volta com um bom humor, com um sorriso, com palavras de crescimento, com sentimentos de elevação. Isso faz bem para qualquer relacionamento humano.

Sugiro que você possa olhar no seu espelho e reconhece a morada de Deus que habita em você. Saiba olhar todas as pessoas a partir da lente do amor e da ternura divina. Saiba acolher a dor da humanidade com compaixão e mostre o caminho da luz e do perdão. Saiba reconhecer e perceber a marca de Deus em cada olhar humano e faça com que a pessoa descobre isso nela mesma.